Psoríase: O que é essa doença?

Hidratar a pele é uma das formas de evitar o aparecimento de psoríase

A psoríase é uma doença crônica que atinge a pele, podendo surgir e desaparecer dependendo do sistema imunológico e da interação com o meio ambiente. Apesar de muitas vezes causar duvidas devido a sua aparência, ela não é contagiosa. Sua gravidade é variável, podendo ser leve e fácil de tratar, ou crônica necessitando urgentemente de tratamento.

Uma das hipóteses de seu desenvolvimento está relacionado as células de defesa do organismo, chamadas de linfócitos T, que liberam uma substância inflamatória. Esse processo faz com que aconteça uma resposta imunológica, dilatando os vasos sanguíneos e aumentando a infiltração de neutrófilos na pele. Não há uma causa exata para esse acontecimento, porém, há uma grande possibilidade de ter origem genética.

Quais são os tipos dessa doença?

Segundo a Sociedade Brasileira de Dermatologia, os tipos de psoríase são:

Vulgar ou em placa – Esse é o tipo mais comum da doença, formando placas secas ou avermelhadas com escamas. Ela pode atingir todo o corpo, causando coceiras e dores, e também pode rachar e sangrar nos casos mais graves.

Invertida – Essa manifestação apresenta manchas vermelhas e inflamadas. Os principais locais afetados são as axilas, embaixo dos seios, virilha e ao redor dos genitais, podendo se agravar em pessoas obesas, na presença de suor excessivo ou atrito no local.

Couro cabeludo – Semelhante a caspa, o paciente que tem esse tipo de psoríase pode notar restos de pele morta nos cabelos e roupas após coçar a cabeça. Um dos principais sintomas é o aparecimento de placas avermelhadas com escamas.

Ungueal – Acomete os dedos e as unhas das mãos e pés, fazendo com que engrosse, fique amarelada, escame e cresça deformada. A unha pode até descolar da carne em alguns casos.

Gutata – Atingindo principalmente crianças e pessoas de até 30 anos, essa forma da doença frequentemente é causada por infecções bacterianas, como por exemplo, a de garganta. Diferente dos outros tipos, essa inclui feridas cobertas por uma escama fina nos braços, troncos, pernas e couro cabeludo.

Pustulosa – Podendo atingir todo o corpo ou apenas algumas áreas pequenas nas mãos, pés e dedos, a psoríase pustulosa ou psoríase palmoplantar apresenta manchas, bolhas ou pequenas erupções com pus. Costumam se desenvolver rapidamente, secando em alguns dias após o aparecimento da bolha e reaparecendo durante dias ou semanas depois. Caso seja generalizada, há a possibilidade de provocar febre, coceira intensa, calafrios e fadiga.

Artropática – Essa forma da doença causa inflamação, descamação e fortes dores na articulação. Em formas mais graves pode provocar rigidez progressiva e até deformidade permanente.

Eritodérmica – Caracterizada por manchas vermelhas que coçam e ardem intensamente, podendo gerar manifestações sistêmicas, esse é o tipo mais comum da doença. A causa pode estar associada a queimaduras, infecções ou psoríases malcuidadas e retirada brusca de cortiesterórides.

O que deve ser feito para evitar que ela ocorra novamente?

  • Beba bastante água
  • Hidrate a pele
  • Consuma alimentos com ômega-3
  • Tome sol até as 10 horas da manhã ou após as 16 horas da tarde
  • Evite o uso de cigarros e o consumo de bebidas alcoólicas
  • Fuja de situações que possam afetar o emocional

Qual médico procurar em caso de suspeita?

Ao sinal dos primeiros sintomas é indicado procurar um dermatologista. Apenas um especialista poderá diagnosticar a doença com base no que está sendo visto e no histórico, receitando medicamentos caso seja necessário. Quando antes o diagnóstico for feito, mais fácil é o tratamento.

 

Não encontrou aqui todas as informações que buscava? Deseja ser atendido por um de nossos especialistas? Clique no link abaixo e agende sua consulta:

AGENDE ONLINE!

Os comentários estão desativados.

 
AGENDE ONLINE NOSSAS UNIDADES