São Paulo: 11 2222.1090 |

Ribeirão Preto: 16 4042.1911 |

Piracicaba/SP: 19 3927-5600

Doença de Alzheimer: Saiba como identificar precocemente

O aparecimento do Alzheimer é mais comum em idosos

Provavelmente você já ouviu alguém falar que tem pessoas na família com Alzheimer. Pode ser que até você mesmo tenha parentes nessa situação. De acordo com a Associação Brasileira de Alzheimer, aproximadamente 1,2 milhões de pessoas tem essa doença no Brasil. Os mais atingidos são aqueles que possuem mais de 60 anos. Ainda sim, existe uma minoria que tem esse esquecimento manifestado precocemente.

A maior parte dos doentes não recebem um diagnóstico, pois seus sintomas podem ser facilmente confundidos com os do envelhecimento. Além disso, ele só pode ser feito por meio de um exame no tecido cerebral que não é recomendado por apresentar riscos ao paciente. Decorrente disso, a identificação do Alzheimer é feito clinicamente por um médico especializado através de avaliações e exames.

Os idosos que tem essa demência podem ter dificuldades de realizarem tarefas simples e que geralmente já estavam acostumados como preparar almoço e jantar, pagar contas, guardar objetos, etc. Esse episódio é progressivo e aumenta de acordo com a evolução da doença.

Quais são as causas do Alzheimer?

Não se sabe qual é a causa exata dessa doença. O único conhecimento que temos é que por algum motivo algumas alterações começam a surgir no cérebro. As principais delas são as placas senis devido ao depósito de beta-amiloide, emaranhados neurofibrilares, redução de neurônios e do volume cerebral.

Como acontece a evolução dessa demência?

Uma das características mais marcantes é a piora dos sintomas continuamente. Cada um deles podem se misturar na transição de um estágio para o outro, porém o progresso pode ser separado de 3 formas, sendo eles:

Fase Inicial: Nesse momento pode ocorrer uma perda de memória de coisas que aconteceram recentemente e a pessoa pode não se lembrar de coisas simples, como o que comeu no café da manhã e almoço. Outra coisa que pode acontecer é não lembrar onde está e qual é o mês ou estação do ano, perdendo a noção de tempo e espaço. Alguns sinais de depressão e irritabilidade também podem surgir. Geralmente a pessoa consegue ter noção de que está se esquecendo das coisas.

Fase Intermediaria: O esquecimento e as limitações começam a ficar mais evidente. A maioria das coisas começam a deixar de serem lembradas, como nome de pessoas da família e grau de parentesco. O doente começa a ter dificuldades de realizar tarefas de casa e pode se perder dentro ou fora dela, se tornando incapaz de viver sem a ajuda de alguém. Além disso, as mesmas perguntas são repetidas diversas vezes e a insônia começa a fazer parte das noites.

Fase Grave: Durante essa fase o portador de Alzheimer não consegue mais caminhar direito, comer e ter controle sobre a evacuação ou micção. Parentes, amigos e tudo que acontece ao seu redor passam a ser desconhecidos. Muitos ficam incapazes de se comunicar também.

Lembrando que os sintomas de cada uma delas podem se misturar na transição de um estágio para o outro.

Qual tratamento deve ser feito?

Ainda não existe um tratamento para a cura do à doença de Alzheimer, porém alguns medicamentos podem ser indicados com o intuito de diminuir os sintomas e estabilizar a evolução. Em caso de sintomas, é necessário procurar um Neurologista ou um Geriatra. Apenas um especialista pode diagnosticar a doença e indicar o tratamento exato para o caso.

Não encontrou aqui todas as informações que buscava? Deseja ser atendido por um de nossos especialistas? Clique no link abaixo e agende sua consulta:

AGENDE ONLINE!
AGENDE ONLINE Mande um WhatsApp
Mande um Whatsapp