São Paulo: 11 2222.1090 |

Ribeirão Preto: 16 4042.1911 |

Piracicaba/SP: 19 3927-5600

Câncer de pele: como prevenir e como identificar?

Utilizar protetor solar é uma ótima forma de proteger contra o câncer de pele.

Com a chegada do verão, consequentemente mais tempo exposto ao sol em horários críticos, aumenta o número de casos de câncer de pele. Essa doença é uma das mais comuns no Brasil, devido ao estilo de vida dos brasileiros.

Segundo o Instituto Nacional de Câncer, o câncer de pele corresponde a 33% de todos os diagnósticos dessa doença no Brasil. Apesar da alta incidência, que é de aproximadamente 175 mil novos casos por ano segundo o mesmo instituto, esse tipo tem baixa mortalidade e alto índice de cura quando tem diagnóstico precoce.

Quais são os principais tipos de câncer de pele?

Carcinoma Basocelular – Esse é o tipo de câncer de pele mais comum e felizmente o menos agressivo, com altas chances de cura após a retirada do tumor. O crescimento é lento e dificilmente ocupa outros tecidos, se tornando metástase. Ele é encontrado principalmente nas partes do corpo que ficam mais expostas ao sol, como no pescoço e rosto.

Carcinoma Espinocelular – Considerado o segundo câncer de pele mais comum, esse é mais frequente em pessoas mais velhas e do sexo masculino. Ele também ocorre mais nas partes que estão expostas ao sol, sobretudo na orelha e no couro cabeludo. Esse tipo se forma a partir de células escamosas e as camadas de pele e mucosa. Sua ação é mais agressiva podendo atingir outros órgãos quando não é retirado rapidamente.

Melanoma – O melanoma é o mais agressivo dos 3, pela capacidade de atingir outros órgãos e se tornar metástase. Ele pode causar problemas em partes do corpo como orelhas, trato gastrointestinal, olhos, mucosas, genitais, etc. Sua aparição é bem inferior aos demais.

Quais sinais podem indicar essa doença?

Existe um exame que na maioria dos casos ajuda a identificar se a mancha pode ser câncer de pele. Ele é chamado de “ABCDE” e é feito com base nas características da lesão. Apesar de poder se observado em casa, o diagnóstico só pode ser feito por um médico. Os aspectos analisados são:

  • Assimetria da lesão: Um lado é diferente do outro
  • Borda Irregular: O contorno não é definido
  • Cor: A lesão tem várias cores diferentes (preto, castanho, avermelhado, branco ou azul)
  • Diâmetro: tamanho maior que 6 milímetros
  • Evolução: Alteração no formato, cor ou tamanho

Quais são os principais fatores de risco e como prevenir?

Os raios solares estão cada vez mais fortes no mundo inteiro. Por isso, é importante tomar o máximo de cuidado e proteger a pele contra os efeitos da radiação. As principais estratégias para evitar o risco de câncer de pele são:

  • Evitar a exposição ao sol das 10hrs às 16hrs
  • Ficas em locais com sombra
  • Observar atentamente todas as partes do corpo e notar se há alguma pinta ou mancha
  • Utilizar roupas, chapéu, boné e óculos escuro, diminuindo as áreas expostas ao sol
  • Consultar um dermatologista pelo menos 1 vez ao ano
  • Passar filtro solar

Existem algumas pessoas que precisam redobrar os cuidados com a exposição solar. Isso porque podem estar mais pré-dispostas a desenvolver essa enfermidades. São elas:

  • Aqueles que já tiverem a doença
  • Bronzeamento artificial
  • Histórico familiar de câncer de mama
  • Pessoas de pele clara ou com muitas pintas
  • Olhos claros, cabelos ruivos ou loiros, e albinos

Quando procurar um especialista?

Ao notar algum sinal da doença é indicado procurar um dermatologista. Apenas um profissional pode investigar se é realmente câncer de pele através do exame clínico, solicitar exames complementares, como a dermatoscopia ou a biópsia, e apontar o melhor tratamento.

Quer saber como funciona a consulta com dermatologista? Acesse o link.

Não encontrou aqui todas as informações que buscava? Deseja ser atendido por um de nossos especialistas? Clique no link abaixo e agende sua consulta:

AGENDE ONLINE!
AGENDE ONLINE Mande um WhatsApp
Mande um Whatsapp